terça-feira, 4 de outubro de 2011

O OLHAR MÍSTICO DA CABALA SOBRE A UMBANDA.

.
.
UMBANDA pode ser escrita com sete letras hebraicas (elas possuem nome): ALEPH, VAV, MEM, BEITH, NUN, DALET E HEY.  Aqui encontramos as Sete Linhas e os Sete Orixás.

Os valores numéricos correspondentes são (as letras também possuem um número): Aleph (01), Vav (06), Mem (40), Beith (02), Nun (50), Daleth (04) e Hey (05).  Logo, a soma da palavra Umbanda é 108.

Em hebraico, temos outras palavras com este mesmo valor. As palavras com o mesmo valor são irmãs, ou seja, possuem a mesma vibração ou poder.

Assim, temos as seguintes palavras irmãs de Umbanda :
1) Chanakh: dado graciosamente e
2) Vayatzev: e ele levantou.

Nós encontramos estas duas palavras no Livro do Gênesis da Bíblia.  A primeira em 33, 5 e a segunda em 33, 20.

Lemos na primeira: “Os filhos que Deus (tem) graciosamente dado” e na segunda: “e ele levantou ali um altar e chamou-lhe Deus”. Isto ocorreu quando o Patriarca Jacó chegou na cidade de Siquém.

O significado místico desta passagem é de grande importância, pois vemos aqui inseridas a origem divina da doutrina ou religião umbandista. 

Jacó, o Patriarca, é a raiz das Doze Tribos de Israel. Segundo a passagem acima, ele levantou um altar ao Altíssimo e Onipotente Senhor.  Este altar, uma rocha consagrada, é chamado de “Deus”, pois representa a divindade fincada na terra. Uma espécie de “assentamento”...

Em que a Umbanda desceu do Céu (plano astral superior).  

Desta forma, cabalisticamente lemos: 
-Que...  UMBANDA.

- Como uma rocha ela é forte, firme e tem base muito sólida.
- Também é eterna, pois os homens não podem mudar os desígnios divinos. 

Texto de Ras Adeagbo.

Umbanda começa com a letra Aleph.  Esta letra simboliza o “início”, pois é a primeira letra da escrita sagrada.  Aleph é uma imagem do Deus Criador, o princípio de tudo.


A Umbanda convida o adepto a voltar à sua origem divina. Uma religião autêntica vem de cima (astral superior, o mundo da unidade), não de baixo (astral inferior, o mundo da confusão).

O Orixá identificado com Aleph é Oxalá, o Grande Senhor das Alturas, o Pai da Pureza (branco, luminoso).  No sincretismo afro-católico é Yashua, Jesus o Nazareno, vestido de alva túnica, emanação do Pai Invisível (Olorun, Zambi).

Aleph na Cabala é também o ar.  Sem ele não existe vida. Este ar relaciona-se com o espírito, a porção divina encarnada na matéria. Isto nos lembra o primeiro espírito que revelou a origem do movimento umbandista : O Caboclo das Sete Encruzilhadas.   Vemos aqui, novamente, o número sete!  Ora, o próprio nome da Umbanda também veio das alturas, do princípio...

Umbanda é sete (poderes, raios, vibrações), veio do um (mundo da unidade), seu revelador era sete (Sete Encruzilhadas) e se manifestou do um (Olorun).  Isto é Cabala!



Umbanda, como vimos, tem sete letras. A letra do meio desta palavra mágica, o coração dela, é a letra Beith.

Esta letra significa casa, tenda ou abrigo. Misticamente pode ser compreendida como templo ou santuário.

Com a letra Beith  inicia-se a Bíblia (Antigo Testamento)em hebraico.  A Bíblia é também patrimônio dos umbandistas.  Mas, teria a Umbanda uma Bíblia especial ou revelação escrita particular, como as outras religiões?

Seguindo a tradição da Cabala, encontramos o seguinte ensinamento.  Como Deus é o princípio (letra Aleph), Beith é a criação e a criatura.  A melhor representação da criação é a Mãe Natureza.  Ela é a Bíblia viva e misteriosa. a BÍBLIA UMBANDISTA.

Quando mergulhamos nos segredos da Natureza, compreendemos melhor Deus.  Ela é um livro aberto, mas só  os que ficam em silêncio e em atitude de respeito dentro e diante dela, conseguem ler suas palavras de sabedoria.

Para a Umbanda, a Natureza é o rosto visível de Deus. Também é o santuário ou templo natural dos discípulos deste culto sagrado.

Lá na mata, cachoeira, pedreira, rio ou mar, Deus e seus mensageiros (Orixás) se mostram mais intimamente. Por isto, a Umbanda pode orgulhar-se de ter o melhor santuário da criação e a mais bonita Bíblia do mundo.
 A NATUREZA.
Ninguém precisa fazer faculdade ou pagar para ler esta escritura.  Também nunca existirão padres ou pastores donos dela!  Ela é Mãe de tudo e de todos.  A Natureza é livre e soberana.

Assim, podemos afirmar sem rodeios: A Umbanda é cabalística, como a Cabala é umbandística.  São duas rosas irmãs, do imenso roseiral do Jardim de Oxalá.

Texto de Ras Adeagbo.

2 comentários:

  1. vamos iniciar as postagens sobre a mistica do ser...

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante seu ensinamento irmão. Continue por favor.

    ResponderExcluir